Os profissionais de TI aprovaram a pauta da campanha salarial de 2017 apresentada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados e Tecnologia da Informação do Estado de São Paulo (Sindpd). Propostas que serão levadas para a negociação com o patronato, como a redução da jornada de trabalho para 30 horas semanais, aumento real de salário e ampliação de benefícios sociais, foram avalizadas pelos trabalhadores em votação ocorrida na sede do Sindicato, na capital paulista, no último sábado, 10/12/2016.

A assembleia foi a última de uma série de 15 encontros realizados com os trabalhadores do setor em todo o estado de São Paulo. No total, aproximadamente 3.000 profissionais de TI participaram das votações que definiram os rumos da Campanha Salarial. Agora, as reivindicações aprovadas serão levadas ao sindicato patronal para que, a partir de janeiro, sejam iniciadas as negociações.

Aumento real

Entre os principais pontos da pauta aprovada, está o reajuste salarial com aumento real para os trabalhadores. Ficou definido que o Sindicato pleiteará a correção acumulada do INPC de 2016 acrescida de 3% de aumento real. “Nós queremos o que é nosso”, disse o presidente do Sindpd, Antonio Neto.

Ao defender um percentual de aumento real além da inflação do período, o Sindicato quer garantir aos trabalhadores de TI a manutenção do poder de compra dos salários. Isso tem sido um dos principais objetivos do Sindicato, que conseguiu elevar os rendimentos dos profissionais do setor em 32% no acumulado dos últimos quatro anos.

Jornada menor

A redução da jornada de trabalho de 40 para 30 horas semanais, sem diminuição proporcional de salário, também foi aprovada pelos trabalhadores. O presidente do Sindpd destacou que a reivindicação está embasada em estudos que já comprovaram os elevados níveis de estresse e pressão que atingem a categoria.

“No Seminário de Regulamentação da Profissão de TI, que realizamos em outubro, foi apresentado um estudo que mostrou que a categoria não tem condições de trabalhar 40 horas semanais dada a pressão e a quantidade de responsabilidades”, afirmou.

Em 2011, o Sindpd já havia garantido aos profissionais do setor a redução da jornada de 44 horas para 40 horas semanais. Foi uma das primeiras categorias do País a garantir a diminuição das horas de trabalho.

Benefícios sociais

A pauta aprovada também reivindica uma série de melhorias nos benefícios sociais. Uma delas inclui o pagamento do vale-alimentação de forma conjunta com o vale-refeição. Hoje, apenas o custeio do VR é obrigatório. Outra demanda prevê que as empresas assumam integralmente o pagamento dos planos médico e odontológico dos trabalhadores, que atualmente são responsáveis por uma coparticipação.

Também estão entre as propostas a ampliação do valor pago como hora extra. Hoje, as empresas são obrigadas a pagar um percentual de 75% nas duas primeiras horas. A pauta prevê pagamento de 100% nas duas primeiras horas e de 150% nas demais, além de sábados, domingos e feriados.

Valorização do trabalhador

Benefícios que já foram consolidados nos últimos anos também integrarão a pauta, como a obrigatoriedade de que todas as empresas do setor apresentem propostas para pagamento de PLR (Participação nos Lucros e/ou Resultados).

“A PLR tem sido uma grande ferramenta de inserção do sindicato nas empresas e também de valorização dos trabalhadores. Neste ano, teremos mais de 1.700 acordos de PLR. Com isso, estamos cada vez mais colocando dinheiro no bolso do trabalhador”, destacou Neto.

Ao apresentar um a um os pontos da pauta, o presidente do Sindpd lembrou que o período tem sido de negociações complicadas para todos os sindicatos do País, mas que as reivindicações apresentadas pelos profissionais de TI são justas. “Vamos enfrentar um momento muito difícil de negociação, por isso precisamos estar organizados”, salientou o dirigente.

Fonte: ComputerWorld

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comments

comments